16 Out 2017

Competidor de Pomerode vence a final do rodeio da raça Quarto de Milha

Com o tempo de 15,660 segundos, Valdinei Sidrone de Freitas, de Pomerode, com o cavalo Miss Brandy Fame ficou em primeiro lugar na final do Rodeio “Raça Quarto de Milha”, realizado no último dia da EFAPI 2017. O público conferiu as provas cronometradas com o cavalo mais versátil do mundo e a habilidade dos competidores.

Os demais classificados foram: Maria Thereza Branco Pucci com Spyrit Synchronized SSB (16,048), Bruno José da Silva com Ally Hickory (16,051), Guilherme Padilha com Packin Brow OTF (16,056), Valdinei Sidrone de Freitas com Flaying Bar Doc (16,122), Vicenzo Almeida Lunardi com Power Doc JG (16,164), Claudemir Aparecido de Almeida com Bali 3 6 Horizonte (16,263), Vicenzo Almeida Lunardi com Victory San (16,493), Debora Cardoso com Zapata Rialex (16,801) e Claudemir Aparecido de Almeida com Trinity Rialex 296 (16,857), do segundo ao décimo lugar, respectivamente.

Cada competidor pode classificar dois animais por dia e correr com o máximo de três animais nas finais. O ganhador obteve a melhor média entre as classificatórias e a final. Valdinei Sidrone de Freitas, que também é treinador, compete desde os 6 anos. “A recompensa de todo o trabalho é a vitória em uma competição”, frisa. Ele ressalta que os trabalhos com os animais iniciam com a doma, aos 2 anos e após seis meses inicia o aprimoramento técnico e de trabalho de percurso. “É um processo gradativo, sempre seguindo o tempo do cavalo”.

As provas três tambores iniciaram na quinta-feira (12) com participação de 80 cavalos e aproximadamente 100 competidores. O juiz Silvio Luiz Michels explica que, para competir, é necessário pesar no mínimo 75 Kg e estar com a roupa de acordo com as normas da Associação Brasileira de Criadores de Cavalos Quarto de Milha (ABQM). “O tempo é cronometrado e vence quem fizer o percurso mais rápido. Se derrubar o tambor tem 5 segundos de acréscimo no tempo e o competidor é eliminado se houver erro de percurso, excesso de ajuda (uso do chicote) e qualquer ferimento no animal. O cavalo tem que ser conduzido elegantemente na pista”, explana.

O vice-presidente do Núcleo Catarinense de Criadores do Cavalo Quarto de Milha (N.C.Q.M.), Luan Patussi, ressalta a importância de realizar as provas na Efapi 2017. “Contribui para fomentar a raça Quarto de Milha na região e as modalidades em que o cavalo compete, além de incentivar a participação das pessoas ligadas ao setor e atrair novos competidores”.

O cavalo Quarto de Milha está presente na Efapi com provas oficiais há 19 anos. “Este ano, ao fim da feira, a sensação é de dever cumprido. As competições ocorreram com muita competência, tanto da organização como dos competidores. Os participantes evoluíram muito nesses anos e representam Chapecó e o Estado em campeonatos nacionais, trazendo prêmios para a região”, salienta o integrante da Comissão de Agropecuária da Efapi Ricardo Lunardi.

PROVAS

Durante a EFAPI 2017, ocorreu a 1ª Etapa do XIX do Campeonato Catarinense do Cavalo Quarto de Milha em duas modalidades: laço comprido técnico (aberta, amador, jovem e feminino) e laço comprido armada (amador, amador light, jovem, feminino, aberta e amador principiante).

No total, foi entregue premiação superior a R$ 20 mil em dinheiro.

QUARTO DE MILHA

O cavalo Quarto de Milha, de origem americana, é considerado o mais versátil do mundo. Sua velocidade é imbatível até os 402 metros (1/4 de milha) e, além disso, consegue se desenvolver no maior número de atividades com maior número de competições.

O preparo dos animais para se tornarem competidores começa aos dois anos. Após alguns meses começa o direcionamento à área de competição desejada pelo domador. Mas o seu auge se dá entre os cinco e oito anos. O treinamento consiste em acompanhamento veterinário, nutricional e prática diária, e a partir de certa idade, entre os doze e treze anos, o cavalo perde seu rendimento e deixa de competir. “É uma vida de atleta”, concluiu Patussi.

Compartilhar:

2017 Todos os direitos reservados